A Biografia Não Autorizada de Acererak

A Necrografia Não Autorizada de Acererak

Os mais novos talvez não conheçam o Acererak, ou passaram a conhecê-lo recentemente, visto que ele estampa a capa do Dungeon Master’s Guide da 5ª Edição do D&D.

Agora vai rolar também uma temporada inteirinha com ele, batizada como Tomb of Annihilation [ToA].

A galera old school o conhece muito bem, aliás muitos torcem o nariz por vê-lo em Forgotten Realms. Mais precisamente na Selva de Chult, como mencionamos aqui.

Todos sabemos que a WotC tem trazido elementos de outros cenários para Forgotten Realms desde o lançamento da 5ª Edição, porém com um pouco de pesquisa, é possível perceber que isso já acontecia desde a 2ª Edição, de forma muito mais moderada.

QUANDO TODA A BAGUNÇA COMEÇOU

  • Crossover com Castle Spulzeer de Forgotten Realms escrito em 1997 por Doug Stewart e Forgotten Terror de Ravenloft escrito também em 1997 por William W. Connors;
  • Spelljammer e suas viagens pelas esferas e seus portos (quem nunca colocou as mãos nos livros Realmspace, Krynnspace ou Greyspace, faça agora rsss);
  • Planescape com suas viagens planares: Tales from the Infinite Staircase escrito em 1998 pelo aclamado Monte Cook que toca todos os cantos do multiverso e pode ser jogado em conjunto com For Duty & Deity de Forgotten Realms escrito por Dale Donovan em 1998;
  • Lord Soth de Krynn foi abraçado pelas brumas de Ravenloft como descrito no romance de James Lowder em 1991 Knight of the Black Rose;
  • Vecna de Greyhawk esteve em Ravenloft e Planescape de acordo com a aventura Die Vecna Die escrita por Bruce R. Cordell e Steve Miller em 2002.

Enfim, referências a parte para justificar os movimentos da Wizards of the Coast na 5ª Edição e as possibilidades infinitas que a cosmologia do D&D proporciona, assim como o Spelljammer, vamos ao assunto deste post – A Necrografia Não Autorizada de Acererak.

Antes de começar, a primeira aparição de Acererak tem mais de 40 anos. Ela ocorreu num torneio de D&D na primeira convenção da Origins em 1975.

Aqui um fato histórico: Esse torneio tinha o objetivo de desafiar os jogadores da sua mesa (Robilar e Tenser. Familiar não acham?), e demais jogadores overpower da época que se achavam o último bis branco do pacote rsss. Hoje nós os chamaríamos de combeiros. Daqui sai a ideia de Perkins sobre o Meat Gringer.

A TAL NECROGRAFIA NÃO AUTORIZADA DE ACERERAK

Retorno a Tumba - Acererak

Acererak é o grande vilão do módulo S1 Tomb of Horrors [escrito pelo mestre overlord Gary Gygax em 1975 e publicado oficialmente pela TSR em 1978], que tem sua origem no cenário de campanha Greyhawk, ou Oerth para os mais íntimos.

Em sua primeira “ficha” de 1978, Acererak foi apresentado como um lich humano mago/clérigo de uma maldade descomunal e a partir de então a história desenvolveu-se assim:

Uma vez um antigo mago conjurou um demônio, porém este não conseguiu controlá-lo. O demônio devorou o mago e desonrou uma das escribas humanas que veio a conceber um cambion chamado Acererak.

Ela sobreviveu ao parto, porém uma multidão a matou e o bebê cambion foi resgatado por ninguém menos que Vecna.

Ele matou todos os seus conselheiros que haviam ordenado que ele matasse o meio-demônio no lugar de fazê-lo seu aprendiz.

Já aos dez anos de idade, Acererak odiava a vida e aspirava tornar-se um morto-vivo assim como seu mestre.

Durante o ataque em Fleeth realizado por Vecna, este ficou muito ferido e foi resgatado e levado para um local seguro por Acererak.

Não existem relatos se ele estava presente no momento que Kas traiu Vecna.

Em vida, Acererak construiu um templo em nome Orcus num complexo subterrâneo. Com sua conclusão, enterrou o arquiteto e todos os trabalhadores devotos de Orcus lá, assim como a ele mesmo, iniciando então seus estudos para tornar-se um lich e posteriormente um demilich. Neste ponto ele começa a explorar os outros planos de existência.

O demilich encontra então no semi-plano de Moil a Cidade que Aguarda.

Cidade que Aguarda

Esta foi a capital de uma civilização que venerava Orcus, porém quando os cidadãos começaram a venerar entidades menos sanguinárias, ele arrancou a cidade do mundo jogando-a no semi-plano de Moil, onde seus habitantes dormiriam para sempre em uma terra sem sol.

É dito que todas as crianças perderam a fala, com exceção de uma palavra que elas repetiam continuamente: ORCUS.

Acererak ao redescobrir a cidade, transforma todos os mortos que dormiam em mão de obra para construir sua fortaleza. Muitos habitantes foram destruídos permanentemente no processo.

Com sua nova fortaleza construída na borda do plano da energia negativa, Acererak iniciou um grande trabalho necromântico. Este tinha o intuito de transformar o plano e ele mesmo em um único e onipotente ser.

A estrondosa energia liberada no processo, em conjunto com a última e apaixonada súplica de Quah-Namog (meio-ogro de Thar, o último sumo sacerdote de Orcus) atingiu o plano astral, onde o corpo de Orcus começa a despertar.

Este processo, entretanto, foi interrompido por um grupo de aventureiros que o derrotaram ao destruírem seu repositório. Como almas não habitam o plano de energia negativa, ao qual ele estava associado, Acererak tornou-se um vestígio.

Desatysso

Um persistente mago chamado Desatysso, chegou bem perto de encontrar Acererak. Fascinado com as histórias sobre a Tomb of Horrors, ele pesquisou pequenos trechos de informação em antigos pergaminhos e tomos, até que finalmente chega em um diário que acredita ter pertencido a Acererak.

Este possuía pistas enigmáticas para andar entre as armadilhas da tumba, assim como histórias sobre o arquimago.

Acererak era conhecido por enrascar mortais em armadilhas de fatos verdadeiros e mentirosos para ficar com suas almas, assim é provável que o diário seja uma destas ferramentas.

O fato é que não saberemos o que é verdade ou mentira nessa história toda, mas deixo para vocês as fontes dessa pesquisa e o mistério sobre o plot da nova temporada com Acererak. Mas certamente vai ser em Forgotten Realms, na Selva de Chult 🙂

Um salve para Dungeons & Dragons, o maior RPG do MUNDO!

PS: Acererak aparece recentemente no romance Hero escrito por R.A. Salvatore de 2016 dando indícios sobre o plot da nova temporada. Quem fizer muita questão de receber o spoiler do plot que aparece no romance, entre em contato conosco por aqui.

Referências

City of Greyhawk por Douglas Niles, Michael Breault e Kim Mohan de 1989;

Return to the Tomb of Horrors por Bruce R. Cordell de 1998;

Tomb of Horrors por Gary Gigax de 1978;

– Dragon Magazine issue #249;

– Dragon Magazine issue #225;

– Graphic Novel: Vecna – Hand of the Revenant por Modi Thorsson de 2002;

Tomb of Horrors por Ari Marmell and Scott Fitzgerald Gray de 2010;

Tome of Magic: Pact, Shadow, and Truename Magic por Dave Noonan, Ari Marmell, and Robert J. Schwalb de 2006;

Vecna Lives de David Cook de 1990;

A Guide to the Ethereal Plane por Bruce R. Cordell de 1996;

Dead Gods por Monte Cook de 1997.

Tags

, , , , , , ,