Drizzt Do'Urden

O Guia Absolutamente Completo dos 30 anos de Drizzt Do’Urden

É isso mesmo, Os 30 anos de Drizzt Do’Urden foram comemorados no último dia 11 de Julho de 2017.

Apesar do seu primeiro romance [The Crystal Shard] ter sido lançado em 1988, R.A. Salvatore entregou sua obra para a TSR em 1987.

Depois do grande sucesso desta primeira obra, ele foi ganhando cada vez mais espaço dentro do cenário de Forgotten Realms. A cada nova obra lançada que virava bestseller, ele ganhava enorme notoriedade no cenário, ultrapassando até mesmo o querido Elminster.

A REPERCUSSÃO QUE TRANSFORMOU O NORTE DE FAERÛN

A grande verdade é que não apenas o NORTE, graças as obras do Salvatore, foi minuciosamente detalhado nos romances e suplementos. As viagens do drow enriqueceram e deram vida a locais como Calimshan, o Underdark e o leste de Tethyr entre outros. Um destaque especial para a vida ao mar com o Capitão Deudermont à bordo do Sea Sprite pelo Mar das Espadas.

Que os reinos possuem uma história rica, não se discute. Contudo, o Savatore consegue enriquecer com detalhes regionais característicos e de ambientação de forma monstra. Sem contar sua melhor qualidade que deixarei para o final 🙂

Aqui, destaco locais de Faerûn que o mestre R.A. Salvatore enriqueceu romantizando com maestria:

  • Icewind Dale: O que era essa região antes da primeira trilogia? Apenas uma região de tundra, com uma montanha cheia de anões, três lagos, bárbaros e dez assentamentos humanos depois da Grande Muralha;
  • Menzoberranzan: Aqui é onde a obra de arte é apresentada ao público. O ambiente fantástico proporcionado pela cidade e seus arredores é surreal. Aprendemos também como toda a sociedade matriarcal dos drows funciona.
  • Mithral Hall: Aqui apenas momentos fantásticos. Aprendemos como funciona a sociedade dos anões e toda sua engenhosidade. Jogares atenção! O roleplay perfeito após tomar uma baforada de dragão que drena nível acontece nesta cidade.

Não irei me alongar demais nessa parte, porém cidades como Luskan, Neverwinter, Longsaddle, Baldur’s Gate, Silverymoon e Calimport brilham com o dom que foi dado ao Salvatore.

PERSONAGENS ICÔNICOS

Ao dar a vida a Drizzt Do’Urden e caracterizar sociedades e locais, R.A. Salvatore criou um ambiente que dava suporte ao elfo-negro com amigos e inimigos. Entre eles se destacam:

  • Bruenor Battlehammer: O anão rei de Mithral Hall e pai adotivo de Catti-brie, causa furor àqueles que gostam de jogar com anões.
  • Catti-brie: A humana filha adotiva de Bruenor, deixa de lado toda sua beleza e demonstra a bravura e dedicação que adquiriu vivendo junto aos anões do norte.
  • Wulfgar: Um bárbaro humano da tribo do alce que na batalha de Icewind Dale, ainda jovem, cortou o chifre do elmo do Bruenor. Com a derrota dos bárbaros, ele foi sentenciado à morte, mas Bruenor poupou sua vida e muito ensinou ao bárbaro que passou a chamá-lo de pai. Não darei spoilers, mas esse cara sobreviveu a um tormento em vida que pqp…
  • Regis: Mais conhecido no Brasil como Ronca-bucho, é o pivô de toda a trama da primeira trilogia. Ele descobre algo muito interessante sobre a Guenhwyvar, a pantera mágica do Drizzt. Bruenor a chama de Damn good cat :). De todos os Companheiros do Salão de Mithral, ele é o menos icônico, mas é o total responsável por toda a trama inicial. Em seu renascimento na quinta edição, ele tem um grande desejo – Ao se reencontrar com seus amigos, não quer mais colocá-los em apuros.
  • Thibbledorf Pwent: Sou suspeito pois amo anões, mas esse cara aqui faz coisas em batalha que meu deus. Um Batltlerager nato. Fiel escudeiro de Bruenor, a quem chama de Me King, e líder dos Gutbusters de Mithral Hall. Olha, só tenho uma coisa a dizer. Leiam e caiam na gargalhada. Tem um amigo que joga com um Gutbuster na minha campanha de SKT. Risadas garantidas!!!

Agora vamos aos antagonistas:

  • Errtu: Um Tanar’ri Balor em busca da Crenshinibon [Crystal Shard] aparece no caminho do Drizzt, que consegue bani-lo para o Abismo. Esse lorde demônio tramou por anos sua vingança, e conseguiu voltar aos reinos através uma “barganha”. Construiu uma fortaleza com a Crenhinibon no Sea of Moving Ice e o fim dessa história deixo para vocês lerem, pois tinha muuuuuuuuuuuuito demônio no lugar.
  • Artemis Entreri: Nasceu em Calimshan, e é conhecido como a sósia maligna do Drizzt. Ele foi contratado pelo Pasha Pûk para caçar o Regis, visto que o Ronca-bucho roubou algo importante do Pasha fugindo para Icewind Dale. Um assassino nato, não se conformava que alguém era tão bom quanto ele lutando com duas armas. Faz de tudo para derrotar o elfo-negro, mas sem sucesso. Acaba “desistindo” após a malsucedida invasão de Mithral Hall e parte numa missão paralela junto a outro antagonista fodástico. Essa história é contada na trilogia [The Sellswords].
  • Jarlaxle: Um elfo-negro de Menzoberranzan, com sobrenome Baenre e líder dos mercenários da Bregan D’aerthe. Assim como o Entreri, ele é um vilão com um certo senso de honra. Seu lema é: “conhecimento é poder”. Esse cara faz de tudo para atingir seus objetivos. Faz com uma inteligência e eficiência suprema. Não o considero um cara mau, mas leiam para chegarem as suas conclusões. De todos os vilões que conheci nos reinos, ele ao lado de Fzoul Chembryl estão no hall dos vilões que amamos. Quem não gosta do Loki no MCU? rsss

A ARTE DA CAPA DOS ROMANCES DO DRIZZT

Aaaah sim, não poderia deixar de mencionar aqueles que deram cores a imaginação do R.A. Salvatore.
Drizzt Do'Urden

Larry Elmore: para mim, ele faz parte da tríade de artistas da era TSR ao lado de Clyde Caldwell e Jeff Easley. Capa [The Crystal Shard];

Drizzt Do'Urden

Todd Lockwood: Certamente, sua arte foi a mais difundida desde que a WotC assumiu o Dungeons & Dragons. Meu voto fica com ele. Mais por seu excelente trabalho, do que pela difusão em si.

Drizzt Do'Urden

Tyler Jacobson: Assumiu o Drizzt na quinta edição do D&D com a Wizards of the Coast. Não tem muito material ainda relacionado ao nosso herói, mas as capas da quinta edição estão fantásticas.

A última trilogia [Homecoming] tem um novo artista para o Drizzt. Seu nome é Aleksi–Briclot. Não farei comentários, pois ainda não me acostumei rssss

É bem verdade que ele trabalhou em diversas capas de livros da quinta edição. Mas nesse momento a crítica está nos livros do Drizzt apenas.

 

CONCLUSÃO

Vou encerrando esse post por aqui. Fiquei de falar qual o maior dom do Salvatore. Pois bem, além de tudo o que falei, para mim é a descrição detalhada de uma batalha. Cada movimento, cada golpe, cada marcha. É uma riqueza sem fim. Por fim, a descrição esplendorosa da High Lady Alustriel é de escorrer lágrimas.

Se gostarem do texto deixem um like, pois assim poderei pensar na possibilidade de reviews livro a livro. Ainda mais agora que teremos romances em português novamente. Que o Lorde Oghma tenha iluminado os tradutores e revisores dessas obras sagradas!!!

PS1: Jogadores, ler é preciso, por isso recomendo os romances. Se gostam de RPG, eles serão suas melhores fontes para um efetivo desenvolvimento do roleplay dos seus personagens.

PS2: Guia de leitura dos romances do R.A. Salvatore.

PS3: Seu guia de romances com a Nerd Boost vocês encontrarão nesta TAG.

Tags

, , , , , , , , ,